Notícias

Unimed faz comunicado urgente aos clientes e pode ser o fim de serviço após muitos anos

Unimed. Foto: Reprodução
Unimed. Foto: Reprodução

O Brasil é um dos poucos países que oferece cobertura de saúde pública gratuita através do Sistema Único de Saúde (SUS).

No entanto, muitos cidadãos ainda optam por contratar planos de saúde privados para complementar esse atendimento. Entre as principais operadoras do setor, destaca-se a Unimed, uma das maiores cooperativas de trabalho médico do país.

Recentemente, no entanto, a Unimed Vitória surpreendeu seus clientes ao anunciar o encerramento de uma parceria crucial relacionada à administração de seus planos coletivos.

Em janeiro de 2024, os contratantes dos planos coletivos da Unimed Vitória receberam uma notícia inesperada. A Benevix, empresa responsável pela administração dos benefícios desses planos, não atuaria mais como intermediária do convênio.

Comunicação Confusa e Incertezas Iniciais

Após o primeiro comunicado, um segundo boleto de cobrança foi enviado em fevereiro, gerando ainda mais dúvidas entre os beneficiários. Em meio a essa situação, a Benevix se pronunciou afirmando que a parceria com a Unimed continuava vigente.

No entanto, de acordo com relatos de clientes publicados pelo Século Diário, as carteirinhas emitidas pela administradora já não estavam sendo aceitas, indicando uma possível ruptura na prestação de serviços.

Diante das incertezas, a Unimed esclareceu que os planos coletivos haviam migrado para um regime de contratação direta com a Associação Comercial e Empresarial do Espírito Santo (ACE-ES) e a Associação do Comércio de Bens e Serviços no Estado do Espírito Santo (ACS-ES). Consequentemente, os boletos passariam a ser emitidos por essas entidades.

Por sua vez, a Benevix reafirmou que continuaria como intermediadora até 2028, contrariando as informações divulgadas pela Unimed.

Unimed: Confirmação do Encerramento e Alerta aos Beneficiários

Após a repercussão do caso, a Unimed Vitória se pronunciou novamente, dessa vez confirmando o encerramento do contrato com a Benevix. Em uma nota enviada ao Século Diário, a cooperativa fez um alerta crucial aos seus clientes:

“Qualquer boleto de mensalidade enviado por ela [Benevix] aos clientes é indevido e não deve ser pago. Juntamente com as entidades ACE-ES e ACS-ES, a cooperativa já está acionando judicialmente a administradora para evitar que os beneficiários sejam prejudicados.”

Essa declaração deixou claro que os beneficiários não deveriam efetuar o pagamento de boletos emitidos pela Benevix, uma vez que a parceria havia sido encerrada.

Escolhendo o Plano de Saúde Ideal: Aspectos Cruciais

Diante de situações como essa, que envolvem mudanças significativas nos planos de saúde, é fundamental que os beneficiários estejam bem informados para tomar decisões conscientes. De acordo com o portal Serasa, existem diversos fatores a serem considerados além do preço ao escolher um plano de saúde adequado.

Avaliar o plano que melhor se encaixa ao perfil do usuário e suas necessidades atuais é essencial. Isso envolve analisar aspectos como:

  • Tipo de plano: individual, empresarial ou coletivo (por adesão a uma entidade de classe);
  • Possibilidade de coparticipação;
  • Tipo de cobertura oferecida: ambulatorial, hospitalar, com ou sem obstetrícia;
  • Abrangência: nacional ou regional;
  • Períodos de carência;
  • Reajuste por idade;
  • Amplitude da rede credenciada.

Avaliação Criteriosa da Rede Credenciada

A rede credenciada é um fator crucial a ser considerado. Beneficiários devem verificar se os hospitais, clínicas e médicos de sua preferência estão incluídos na rede da operadora, garantindo assim o acesso aos serviços desejados.

Além disso, é importante analisar a abrangência geográfica da rede, especialmente para aqueles que viajam com frequência ou residem em diferentes regiões.

Antes de contratar um plano de saúde, é imprescindível ler atentamente os contratos e termos, prestando atenção especial às coberturas oferecidas e às exclusões aplicáveis. Entender claramente os procedimentos e tratamentos cobertos pode evitar surpresas desagradáveis no futuro.

Algumas operadoras podem limitar ou excluir determinados tipos de tratamento, como cirurgias específicas, terapias alternativas ou medicamentos de alto custo. Conhecer essas restrições antecipadamente é fundamental para tomar uma decisão informada.

Os períodos de carência, que determinam o tempo de espera para usufruir de determinados benefícios, e os reajustes por idade, que podem afetar o valor das mensalidades à medida que o beneficiário envelhece, também devem ser levados em consideração.

Compreender esses aspectos ajuda a planejar adequadamente os gastos com saúde e evitar surpresas financeiras indesejadas.

Thaymã Rocha

Especialista em Redação, escreve textos para o Benefícios do Dia com temas de Benefícios Sociais, Direitos do Trabalhador e Economia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *