DireitosNotícias

SURPRESA TOTAL: Ministro de Lula defende mudança para crédito consignado no FGTS

Não é novidade para ninguém que o saque-aniversário é um dos principais benefícios do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Dessa forma, o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, decidiu agir, com apoio do Presidente da República, Luis Inácio Lula da Silva, para beneficiar os trabalhadores brasileiros.

Com base na informação do ministro, o intuito é alterar as regras da modalidade do FGTS para que milhões de brasileiros não possam ser prejudicados, especialmente aqueles que trabalharam e não receberam a quantia ideal prevista em lei. Com isso, a meta é retirar o valor restante da conta do Fundo de Garantia ao ser demitido.

Apesar da boa vontade de Marinho, não antecipou se haverá uma transição no projeto de lei. Além disso, vem defendendo o fim do saque-aniversário, pois entende que o novo sistema de consignado para trabalhadores do setor privado irá facilitar para os trabalhadores, já que terá a obtenção de crédito a juros mais baixos.

Ministro de Lula defende mudança para crédito consignado no FGTS

O intuito do ministro do Trabalho, Luiz Marinho, é criar um sistema único para permitir que o trabalhador do setor privado possa requisitar o crédito consignado em qualquer banco. Vale destacar que, atualmente, é preciso que a empresa tenha convênio com a instituição bancária.

Caso a mudança nas regras seja efetivada, o crédito consigado será liberado para os brasileiros com carteira assinada no ano-base. Além disso, o setor privado é escasso e a taxa de juros para o trabalhador depende muito dos convênios que as empresas têm.

Em entrevista ao portal O Globo, garantiu que tem trabalhado duro para oferecer este grande benefício aos cidadãos. “Não vou sossegar enquanto não resolver essa questão e permitir que quem foi demitido possa sacar o saldo do FGTS imediatamente”, afirmou Marinho.

Regras do saque-aniversário 2024

Com base no anúncio, as novas regras garantem que os trabalhadores, atualmente, não podem sacar todo o saldo da conta. Entretanto, o ministro Luiz Marinho pretende possibilitar a retirada total do valor em caso de demissão sem justa causa. Em suma, a medida deve estar disponível apenas a quem não optou pelo saque-aniversário.

Por fim, nas regras do saque-aniversário, o saldo fica bloqueado por 25 meses após a adesão. E, durante esse período, se o trabalhador for demitido ele não pode fazer o saque do seu saldo. E Marinho também já sinalizou que tem estudado liberar a retirada para quem foi demitido e estava em uso dessa modalidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *