DicasNotícias

Fez o PIX para pessoa errada? Acaba de sair projeto de devolução de dinheiro do PIX para algumas pessoas – confira tudo sobre o PIX

Passo a passo para se cadastrar no Pix. Foto: Reprodução
Passo a passo para se cadastrar no Pix. Foto: Reprodução

O Pix, o sistema de pagamentos instantâneos lançado pelo Banco Central do Brasil em 2020, tem se tornado cada vez mais popular entre os brasileiros.

Com sua agilidade e conveniência, o Pix se estabeleceu como a forma preferida de transferências e pagamentos para milhões de pessoas e empresas no país.

Além disso, o crescente uso do sistema de pagamentos instantâneos tem trazido consigo uma preocupante onda de fraudes digitais.

Para enfrentar esse desafio, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e o Banco Central (BC) uniram forças para desenvolver uma solução aprimorada, conhecida como MED 2.0.

A saber, uma das principais vantagens é a sua gratuidade para pessoas físicas e Microempreendedores Individuais (MEIs). Não há cobrança de taxas adicionais para realizar transferências ou receber pagamentos por meio dessa plataforma. Isso a torna uma opção extremamente atraente para a maioria dos brasileiros.

Segundo os dados do Banco Central revelam que, em junho deste ano, pela primeira vez, foram registradas mais de 400 milhões de transações via PIX em apenas 48 horas. Esse crescimento exponencial no uso do sistema de pagamentos instantâneos evidencia a importância de garantir a segurança dos usuários.

Além disso, o Banco Central estabeleceu em 2021 o Mecanismo Especial de Devolução (MED), que permite que as vítimas de fraudes registrem reclamações em suas instituições financeiras em até 80 dias após a transação via PIX.

Ao registrar a reclamação, os valores são bloqueados na conta do recebedor para análise detalhada. Nesse sentindo, caso a fraude seja confirmada, os valores são devolvidos à vítima, dependendo da disponibilidade de fundos na conta do fraudador.

Limitações do MED Atual e a Necessidade de Aprimoramento

Apesar dos esforços do MED, os criminosos têm encontrado maneiras de burlar o sistema, dispersando rapidamente os valores obtidos em golpes entre diversas contas. Isso dificulta o bloqueio e a recuperação dos recursos pelas vítimas.

Para resolver essa lacuna, a Febraban propôs ao Banco Central uma alteração fundamental no MED: permitir o bloqueio de valores em múltiplas contas utilizadas pelos golpistas. Atualmente, apenas a primeira conta recebedora pode ser bloqueada, facilitando a rápida movimentação do dinheiro para outras contas.

O Projeto MED 2.0

Denominado MED 2.0, o novo projeto foi apresentado pela Febraban e deve ser desenvolvido entre 2024 e 2025, com implementação prevista para 2026. Essa iniciativa visa aprimorar significativamente a prevenção e o combate a fraudes digitais.

Principais Mudanças Propostas no MED 2.0

As principais alterações propostas no MED 2.0 incluem:

  1. Bloqueio de Valores em Diversas Contas: A nova versão do mecanismo permitirá o bloqueio de valores em múltiplas contas utilizadas pelos criminosos, dificultando a rápida movimentação do dinheiro obtido em golpes.
  2. Análise Detalhada e Devolução de Valores: Assim como no MED atual, o MED 2.0 possibilitará a análise detalhada dos casos de fraude registrados pelas vítimas. Comprovada a ocorrência de golpe, os valores serão devolvidos aos clientes, dependendo da disponibilidade de fundos nas contas dos fraudadores.
  3. Maior Eficácia no Combate a Fraudes: Com o bloqueio de valores em diversas contas e a análise mais aprofundada dos casos, espera-se que o MED 2.0 seja um avanço significativo na prevenção e combate a fraudes digitais envolvendo o PIX.

Benefícios Esperados com o MED 2.0

A implementação do MED 2.0 trará diversos benefícios para os usuários do PIX, tais como:

  • Maior Segurança: O aprimoramento do sistema de devolução de valores em casos de fraude proporcionará mais tranquilidade e confiança aos usuários do PIX.
  • Eficácia no Combate a Golpes: O bloqueio de valores em múltiplas contas e a análise detalhada dos casos tornarão o sistema mais eficaz no combate às fraudes digitais.
  • Recuperação de Valores: Com a nova abordagem do MED 2.0, as vítimas de golpes terão melhores chances de recuperar os valores desviados pelos criminosos.

Papel da Febraban e do Banco Central

A Febraban, em parceria com o Banco Central, desempenha um papel fundamental no desenvolvimento e implementação do MED 2.0. A Federação acredita que esse novo projeto será um avanço significativo na prevenção e combate a fraudes, aumentando a eficácia no bloqueio e recuperação de valores.

O Banco Central, por sua vez, atua como o regulador do sistema de pagamentos instantâneos no Brasil, sendo responsável por estabelecer as diretrizes e normas que regem o funcionamento do PIX. A instituição trabalha em conjunto com a Febraban para aprimorar os mecanismos de segurança e proteção dos usuários.

Como se Cadastrar no Pix: Passo a Passo

Agora que você já entende o que é o Pix e suas principais vantagens, vamos mergulhar no passo a passo para você se cadastrar e começar a usar esse sistema de pagamentos.

Etapa 1: Acesse a “Área Pix” do seu Banco

O primeiro passo é acessar a “Área Pix” do aplicativo do seu banco. Essa é a seção dedicada ao Pix, onde você poderá realizar todas as suas atividades relacionadas a esse sistema de pagamentos.

Etapa 2: Cadastre sua Chave Pix

Após entrar na “Área Pix”, você deverá cadastrar sua Chave Pix. Essa chave é a sua identificação no sistema e será utilizada sempre que você precisar realizar uma transferência ou receber um pagamento via Pix.

Você pode escolher entre diferentes tipos de Chave Pix, como:

  • CPF ou CNPJ
  • Número de telefone celular
  • Endereço de e-mail
  • Chave aleatória (código alfanumérico)

É importante lembrar que, caso você possua mais de uma conta bancária, será necessário cadastrar uma Chave Pix diferente para cada uma delas.

Etapa 3: Confirme o Cadastro da sua Chave Pix

Depois de escolher e cadastrar sua Chave Pix, o aplicativo do seu banco irá solicitar a confirmação dessa ação. Certifique-se de que todos os dados estejam corretos antes de concluir o processo.

Etapa 4: Comece a Usar o Pix

Com sua Chave Pix devidamente cadastrada, você já pode começar a utilizar o sistema de pagamentos instantâneos. Agora, sempre que precisar fazer uma transferência ou receber um pagamento, basta informar a sua Chave ao invés dos dados da sua conta bancária tradicional.

Thaymã Rocha

Especialista em Redação, escreve textos para o Benefícios do Dia com temas de Benefícios Sociais, Direitos do Trabalhador e Economia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *