CPF na nota

Desconto no CPF nas farmácias é real? Entenda tudo sobre o programa CPF na Nota

CPF na Nota. Foto: Reprodução
CPF na Nota. Foto: Reprodução

Ao visitar uma farmácia, uma das perguntas mais comuns que os clientes ouvem é “Qual é o seu CPF?”. Essa simples solicitação esconde uma realidade muito mais complexa do que pode parecer à primeira vista.

Por trás dessa aparente necessidade de identificação do consumidor, existe toda uma rede de interesses comerciais e de uso de dados que merecem ser desvendados.

O Desconto Ilusório

Conforme revelado pela reportagem premiada da jornalista Amanda Rossi, publicada no UOL Prime, o famoso “desconto” oferecido pelas farmácias quando o cliente fornece seu CPF não é tão real quanto parece. Na verdade, o preço inicial, sem a identificação, é inflacionado justamente para criar a sensação de uma grande vantagem ao fornecer os dados pessoais.

Um exemplo claro dessa prática é o caso do genérico do anti-inflamatório nimesulida. Sem o CPF, a caixa com 12 comprimidos custava R$ 31,78 na rede RaiaDrogasil em São Paulo. Já com o CPF, o preço despencava para apenas R$ 8,50 – um desconto tentador de 73%. No entanto, ao investigar mais a fundo, descobriu-se que o mesmo produto era adquirido por hospitais públicos por apenas R$ 1,08. Ou seja, o “preço real” estava muito abaixo do valor inicial cobrado nas farmácias.

Segundo a jornalista, “os R$ 31,78 da tabela que as farmácias cobram […] só estão lá para você dar o CPF”. Ou seja, o desconto não é uma benesse da empresa, mas sim uma estratégia para obter os dados do consumidor e alimentar um lucrativo banco de informações.

Ao fornecer o CPF, o cliente está, na verdade, contribuindo para a construção de um amplo banco de dados nas farmácias, que pode conter registros de compras de até 15 anos, desde o cotonete até os remédios de tarja preta. Esse acervo de informações pessoais e de saúde é visto pelas empresas como um ativo valioso.

Uma subsidiária da rede RaiaDrogasil, chamada RD Ads, é responsável por comercializar esses dados a anunciantes interessados em direcionar suas campanhas para públicos específicos. Dessa forma, quem toma antidepressivos, por exemplo, pode começar a ver anúncios relacionados a esse perfil não apenas no site da farmácia, mas também em redes sociais e no YouTube.

A ideia é que a farmácia se torne um concorrente do Google e da Meta no mercado publicitário, utilizando informações sensíveis sobre a saúde e o comportamento dos clientes. Isso é possível graças ao banco de dados construído a partir do fornecimento do CPF.

Entendendo o Programa CPF na Nota

O programa CPF na Nota foi lançado no início deste ano e tem se mostrado extremamente eficaz em alcançar diferentes municípios do Paraná. Sua proposta é simples: ao solicitar a inclusão do CPF na nota fiscal durante suas compras, os consumidores automaticamente participam de sorteios que podem lhes render valiosos prêmios em dinheiro.

Com prêmios que já totalizam R$ 25 milhões distribuídos apenas nos primeiros cinco meses, o programa CPF na Nota está incentivando a população a adotar essa prática simples, porém vantajosa. Ao pedir o registro do CPF, os consumidores não apenas aumentam suas chances de ganhar recompensas, mas também contribuem para a melhoria do ambiente econômico local.

Além dos benefícios diretos para os consumidores, o programa CPF na Nota também fortalece a economia dos municípios participantes. Ao promover a regularidade fiscal nos estabelecimentos comerciais, a iniciativa contribui para a criação de um ambiente mais transparente e justo, beneficiando tanto os consumidores quanto os próprios negócios.

O programa CPF na Nota tem se espalhado por diversas cidades do Paraná, como Londrina, Curitiba e Paranaguá. Nesses locais, moradores já foram contemplados com prêmios significativos, reforçando a importância da participação no programa e seu alcance em diferentes regiões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *