Geral

13º salário do Bolsa Família ANTES do Natal? PIX de R$ 850 para grupo seleto de beneficiário

Bolsa Família. Foto: Reprodução
Bolsa Família. Foto: Reprodução

Atualmente, o valor mínimo do Bolsa Família é de R$ 600 por família, com adicionais de R$ 150 por criança de até seis anos e R$ 50 por integrante de 7 a 18 anos, gestantes e lactantes.

Além disso, o programa passou a incluir novos benefícios, como o Benefício Primeira Infância, que contempla crianças de zero a seis anos, e o Benefício Variável Familiar, que assegura R$ 50 adicionais para dependentes de 7 a 18 anos e gestantes. Recentemente, foi incorporado também o pagamento adicional de R$ 50 para nutrizes.

Uma das principais dúvidas dos beneficiários do Bolsa Família diz respeito ao pagamento do 13º salário. Esse complemento foi instituído apenas uma vez, em 2019, por meio de uma medida provisória que não foi renovada nos anos seguintes. Portanto, o 13º salário não foi pago em 2020, 2021 ou 2022.

Muitas informações equivocadas circulam nas redes sociais, alegando que o atual governo teria extinguido o 13º salário do Bolsa Família. No entanto, é importante esclarecer que o pagamento desse complemento nunca foi uma regra permanente do programa, tendo sido implementado apenas excepcionalmente em 2019.

Em 2024, o governo federal não prevê o pagamento do 13º salário para os beneficiários do Bolsa Família. A prioridade é manter o valor mínimo de R$ 600 por família, além dos adicionais já mencionados, visando garantir a sustentabilidade e a continuidade do programa.

Elegibilidade para o Bolsa Família de julho

Para ser elegível ao Bolsa Família de julho, as famílias devem cumprir alguns requisitos básicos:

  1. Renda familiar per capita: A renda mensal por pessoa da família deve ser de até R$ 218,00. Esse valor é atualizado periodicamente pelo governo federal.
  2. Cadastro Único (CadÚnico): As famílias devem estar inscritas no Cadastro Único, um sistema de informações sociais que permite ao governo identificar e caracterizar as famílias de baixa renda.
  3. Compromissos na área de saúde e educação: As famílias beneficiárias devem cumprir com as condicionalidades do programa, como acompanhamento pré-natal, vacinação, frequência escolar mínima, entre outros.

É importante ressaltar que a seleção das famílias é feita com base na renda e na situação de vulnerabilidade, priorizando aquelas em maior necessidade.

Valores do Bolsa Família de julho

O Bolsa Família de julho oferece um benefício básico de R$ 600 por família, além de benefícios adicionais que podem elevar o valor total recebido.

Esses benefícios extras incluem:

  • R$ 150 por cada criança de até 6 anos de idade: Esse valor visa apoiar as despesas com a criação e o desenvolvimento das crianças.
  • R$ 50 por gestante e crianças de 7 a 17 anos: Esse adicional auxilia com as necessidades específicas desses grupos.
  • R$ 50 por bebê até 6 meses de idade: Esse benefício complementar é destinado às famílias com recém-nascidos.

Portanto, uma família elegível pode receber até R$ 850 por mês por meio do Bolsa Família de julho, dependendo da sua composição e situação.

Calendário de Pagamentos do Bolsa Família de julho

O pagamento do Bolsa Família de julho segue um cronograma rigoroso, com datas específicas para cada final de Número de Identificação Social (NIS).

Confira o calendário de pagamentos:

  • NIS final 1: 18 de julho de 2024
  • NIS final 2: 19 de julho de 2024
  • NIS final 3: 22 de julho de 2024
  • NIS final 4: 23 de julho de 2024
  • NIS final 5: 24 de julho de 2024
  • NIS final 6: 25 de julho de 2024
  • NIS final 7: 26 de julho de 2024
  • NIS final 8: 29 de julho de 2024
  • NIS final 9: 30 de julho de 2024
  • NIS final 0: 31 de julho de 2024

Esse cronograma detalhado visa garantir uma distribuição eficiente do benefício, evitando congestionamentos nos pontos de pagamento e facilitando o acesso dos beneficiários.

Condicionalidades do Bolsa Família de julho

Para manter o recebimento do Bolsa Família de julho, as famílias devem cumprir algumas condicionalidades nas áreas de saúde e educação:

  1. Acompanhamento pré-natal: As gestantes devem realizar o acompanhamento pré-natal de acordo com o calendário estabelecido pelo Ministério da Saúde.
  2. Vacinação: As crianças menores de 7 anos devem estar com o calendário nacional de vacinação em dia.
  3. Acompanhamento nutricional: As crianças menores de 7 anos devem ter seu estado nutricional acompanhado regularmente.
  4. Frequência escolar: As crianças e adolescentes de 4 a 18 anos incompletos devem ter frequência escolar mínima de 60% (para crianças de 4 a 5 anos) e 75% (para crianças e adolescentes de 6 a 18 anos).
  5. Atualização do Cadastro Único: As famílias devem manter seus dados atualizados no Cadastro Único, no mínimo a cada 24 meses.

O cumprimento dessas condicionalidades é fundamental para a manutenção do benefício do Bolsa Família de julho.

Novidades e Mudanças no Bolsa Família de julho

Nesta edição do Bolsa Família de julho, algumas novidades e mudanças merecem destaque:

  1. Aumento no Valor Básico: O valor básico do benefício foi elevado de R$ 600 para R$ 600, representando um incremento significativo no auxílio recebido pelas famílias.
  2. Benefícios Adicionais Ampliados: Os valores dos benefícios adicionais, como o de R$ 150 por criança de até 6 anos e o de R$ 50 para gestantes e crianças de 7 a 17 anos, também foram reajustados.
  3. Flexibilização das Condicionalidades: Em resposta à pandemia de COVID-19, algumas condicionalidades foram temporariamente flexibilizadas, de modo a garantir o acesso ao benefício mesmo em situações de dificuldade.
  4. Inclusão de Novos Grupos: O programa passou a abranger novos grupos, como trabalhadores informais e famílias em situação de extrema pobreza, ampliando ainda mais seu alcance.

Essas mudanças reforçam o compromisso do governo em aprimorar o Bolsa Família, tornando-o cada vez mais eficaz no combate à pobreza e na promoção do desenvolvimento social.

Cadastro Único e Inscrição no Bolsa Família de julho

Para se inscrever no Bolsa Família de julho, a primeira etapa é estar cadastrado no Cadastro Único (CadÚnico). Esse sistema reúne informações socioeconômicas de famílias de baixa renda, permitindo ao governo identificar e selecionar os beneficiários.

O cadastro pode ser realizado gratuitamente nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) ou em outros postos de atendimento do CadÚnico em todo o país. É importante manter os dados atualizados, pois isso aumenta as chances de ser selecionado para o Bolsa Família.

Após o cadastro no CadÚnico, a família é automaticamente inscrita no Bolsa Família, não sendo necessário um processo de inscrição adicional. O sistema federal analisa os dados e, caso a família atenda aos critérios de elegibilidade, ela será incluída no programa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *